#Alienação #Parental: TJ/PR condenou mãe em 10 Salários Mínimos por cada visita paterna que ela impedir – # alienaçãoparental

Em decisão inédita, a Desembargadora Ivanise Maria Tratz Martins, do TJPR condenou mãe aliendora parental ao pagamento de 10 salários mínimos por dia de convívio paterno, estabelecido por decisão judicial, que ela roubar de seu filho. Andou bem a decisão! Sabemos que, para muitas pessoas, a parte mais sensível do corpo é o bolso. Já se tem conhecimento que a mãe aliendora desistiu da prática dos atos de alienação. A decisão tomada pela Desembargadora Ivanise é medida de Direito e Justiça. Que vire rápida jurisprudência nacional. Assim que tivermos o inteiro teor da decisão, postaremos aqui.

Anúncios

Sobre André Zanoti

É mestre em Direito, pelo Centro Universitário Eurípides de Marília - UNIVEM (2008), especialista em Política e Estratégia pela Universidade de São Paulo – USP (2004), especialista em Direitos Especiais pelo Centro Universitário Eurípides de Marília – UNIVEM (2002), graduado em Direito pela Universidade de Marília – UNIMAR (1999). Concluiu o ensino-medio na Fox Lane High School – Bedford/New York (1992). Foi editor do Boletim Desafio e membro do corpo editorial da Revista Direito e Análise. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Constitucional, Internacional, Sociologia, Sociologia Jurídica, Ciência Política e Teoria Geral do Estado e Direito Civil. Atua principalmente nos seguintes temas: Crítica aos Fundamentos da dogmática jurídica, principiologia do Direito e construção do saber jurídico. É advogado associado do escritório Zanoti e Almeida Advogados Associados, inscrito na OAB/SP sob o número 5.222, desde 2000 e do escritório Pradella e Zanoti, em Ourinhos. Possui formação em Programação Neurolinguistica, pelo Southern Institute of Neurolinguistic e em Empreendedorismo – EMPRETEC/SEBRAE, e ministra cursos, palestras e treinamentos à pessoas jurídicas de direito público e privado, nas áreas de coaching, gestão administrativa, capacitação corporativa, liderança, negociação, formação e gerenciamento de equipes, oratória entre outros. Atualmente, é vice-presidente da ONG Associação Ambientalista de Defesa da Bacia Hidrográfica do Vale do Paranapanema - ADERP, membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente de Assis - CONDEMA, e membro da câmara técnica de capacitação, mobilização e educação ambiental do Comitê da Bacia Hidrográfica do Médio Paranapanema – CBH-MP.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

21 respostas para #Alienação #Parental: TJ/PR condenou mãe em 10 Salários Mínimos por cada visita paterna que ela impedir – # alienaçãoparental

  1. Silvio disse:

    Está decisão é um grande avanço no combate a A Alienação Parental. Me foi roubado o direito de acompanhar a infância e o desenvolvimento das minhas filhas com ameaças e processos baseados na Lei Maria da Penha. Tive que tomar a decisão difícil de não expor as meninas as situações que a meu entender traria maior prejuízo do que a minha ausência. Enfim tenho dificuldades em fazer o Judiciário do RS entender que uma pessoa insensata está usando uma lei, criada para proteger, para prejudicar duas crianças e um pai que ama suas filhas.

    • celia disse:

      pois o meu caso ,o pai marca com os filhos e nem aparecer e as crianças ficam frustada ,nao dar a pençaoque a justiça determinou e nunca e nao cumpre nada que foi determinado isso e o que?

      • André Zanoti disse:

        Isto é abandono afetivo, Célia! Você também pode tomar providencias em relação a isso!

      • Exatamente isso que acontece comigo tenho uma ex mulher que usa da injusta justiça brasileira pra me perseguir e me atingir usando como arma o amor que sinto pela minha filha.. Ate no dia do meu aniversário ela não deixou eu ficar com minha filha alegando que não estava relatado nada desse dia no termo judicial…. E o pior é a última que ela aprontou, usando de meios baixos e mentirosos fazendo uma denúncia que ate o momento era anonima (ja que mais tarde ela confessou que foi ela por meio de seu advogado), ao Conselho tutelar dizendo que eu era alcoólatra e drogado e que eh espancava a minha filha em meus dias de visita pra usar isso mais tarde em um processo que ela entraria contra mim pra me tirar os direitos de visita que eu havia conquistado pois ela me negava visitas pois não tinha termo judicial pra isso, usou de termos mentirosos e sem base nenhuma pra provar nada do que relatou em seu processo contra mim, mais mesmo assim a justiça (injusta pra pais) consentiu uma liminar me proibindo de buscar minha filha uma vez durante a semana (muito pouco mais foi o que eu consegui com muito esforço ) e só pega la a cada 15 dias retirando ela as 9:00 da manhã do sábado e devolvendo a as 18:00 horas do domingo foi o que ela pediu que o juiz desse e foi isso que ele deu me dando 15 dias de defesa mais mesmo com minha defesa derrubando todas as mentiras dela contra mim em processo, o juiz ainda deu direito a ela se defender sobre a minha defesa, foi ai que ela se complicou pelo menos em relação a ação criminal pois confessou que foi ela que fez aquela denúncia mentirosa caluniadora e infame a meu respeito ao Conselho tutelar, pois isso é crime acusar alguém tão forte e não provar. Enfim isso já está acontecendo desde que nos separamos e eu tenho que estar lutando na justiça pra poder ficar com minha filha que está muito prejudicada em seu convívio social e escolar por atitudes vingativos e imaturas que sua mãe comete ao tentar me afastar dela. Agora foi marcada a audiência pra fevereiro e espero que dessa vez à justiça seja justa e investigue a fundo com estudos sociais na vida da minha filha pra ajuda la a não ser mais uma vítima de mães que usam seus filhos pra prejudicar seus antigos companheiros, pois já está mais que provado que os maiores prejudicados são os filhos que hj podem ser crianças mais um dia se tornarão adultos.

  2. Laurecy Bezerra de Farias disse:

    ainda bem que as mães maliciosas estâo Sendo desmascaradas

  3. RNN disse:

    Bom dia, gostaria de saber se tens o inteiro teor dessa decisão, bem como a ementa? Att RNN

  4. MARIO BARROS disse:

    DIREITOS , SÃO DIREITOS, E TEM QUE SER RESPEITADOS, E ISSO HE PARA TUDO E TODOS.

  5. Ricardo Politano disse:

    Prezado professor, gostaria, gentilmente, que nos fornecesse o
    inteiro teor do processo.

  6. Genilda Tavares disse:

    Isso devia ser aplicada na mãe do meu neto.Ela fica dizendo coisas com o pai da criança q é meu filho.O menino diz q tem medo da mãe pq ela ameaça com castigo prende no quarto.Ele fala teríamos q ter prova.

  7. Polyana disse:

    Deveria ter pena também para pais que não visitam seus filhos. Sofrem alienação parental pela madrasta que impedi o convívio do filho de outro relacionamento de conviver com a família do pai.

    • Anabelle disse:

      Para isso a Lei nao eh rigida…conheco muitos casos assim…sociedade patriarcal…a mae rala cuidando do filhos no dia a dia, escolas, atividades extras,quando doentes, o pai nao ajuda financeiramente (sempre se sentindo lesado quando ajuda) e quando “resolve” aparecer quer ser recebido com todas as honras…os filhos so perceberão e entenderão quando mais velhos quem realmente se dedicou e se importou…..adendo: nao eh a minha experiência por isso estou sendo imparcial…isso eh um fato que ninguém pode negar…a claro…os pais “vitimas” vão negar..

      • Tatiana disse:

        Concordo absolutamente, e digo mais, pode até acontecer de alguma mãe afastar seu filho do convívio do pai como forma de vingança, mas tenho certeza que em quase 100% dos casos é por pura proteção. Nós sabemos muito bem com quem estamos lhe dando e os riscos que nossos filhos correm nas mãos desses que se dizem os pais mais amorosos do mundo, mas que quando o negócio aperta são os últimos com quem podemos contar.

  8. Humberto Batista da Silva disse:

    Meus parabéns a desembargadora, espero que esta decisão venha fazer com que algumas pessoas repensem que seus filhos não são criados para serem disputados quando o casamento acaba e terem que ficar ouvindo as duas pessoas que ele mais ama, um falando mau do outro ou mesmo tendo seu direito de convivência desrespeitado.

  9. camila neves disse:

    Mil aplausos!!!! Filhos sao dádivas Divina, e tem direito de conviver com ambos os genitores.

  10. Milton Córdova Junior disse:

    Penso que a maioria dos casos da famigerada alienação parental tem dois culpados: magistrados e membros do Parquet. A Lei da Guarda Compartilhada (ambas, a de 2008 e a de 2014) é sistematicamente (por eles) violada. A Lei da Alienação Parental, completamente ignorada (por eles). A simples aplicação do artigo 7º da LAP seria suficiente para conter a maioria dos casos de AP neste País; mas omissão, negligência, irresponsabilidade e PARCIALIDADE são a tônica das decisões nos tribunais brasileiros. Quando esses agentes publicos – que recebem os maiores salários da nação – passarem a ser sistematicamente punidos por suas decisões e manifestações claramente ilegais/parciais (salvo as devidas e bem fundamentadas exceções), pode ser que o quadro mude. O menino Bernardo, de Três Passos/RS, pagou com a vida a omissão do judiciário local, eis que sua avó materna havia pedido e reiterado a guarda ou “visitas” do menino. É o tipico caso da alienação parental judicial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s