NOBLESSE OBLIGE – Por Célia Leão – Fonte – http://www.etiquetacelialeao.com.br/artigo_22.asp

" NOBLESSE OBLIGE…"

A tradução literal desta frase quer dizer "a nobreza manda" e, para entende-la é bom que se volte um pouco no tempo e que pensemos em história. Houve uma época em que as normas de conduta ética e moral eram transmitidas às novas gerações pelas classes dominantes – a aristocracia, os intelectuais, os escritores, os artistas – ou seja, por aquela categoria de pessoas que tinham acesso ao conhecimento e que, por conta disto, eram exemplos de conduta a serem seguidos. Isso tudo mudou (e muito, infelizmente!) hoje em dia mas, o significado da frase ainda permanece o mesmo. Quando, por exemplo, nos defrontamos com uma situação em que o outro lado age de maneira rude, ou de forma errada, "noblesse oblige" que, independentemente de quão rude agiu o outro lado, jamais saiamos da atitude que a educação diz ser a correta – e quase sempre essa atitude acaba desarmando ou "neutralizando" a incorreção cometida pelo outro lado.
Noblesse oblige é uma frase que deveria se fazer mais presente em nosso cotidiano e sobre a qual deveríamos refletir com mais frequência…
Tenho refletido bastante sobre o comportamento infantil de um modo geral: a criança, sem medo e culpa nenhuma quer mais é ser feliz, vive para o seu prazer. E ponto. E o que é ser adulto? Amadurecer significa saber lidar com as frustrações, com as limitações de um jeito equilibrado e descobrir maneiras de ser e de viver feliz, apesar delas todas. Mas, no fundo no fundo, todos nós adultos ainda conservamos nossa porção "criança": gostamos de olhar para o que é bonito, gostamos de comer o que nos dá prazer, gostamos de vivenciar situações e momentos felizes. E alguns adultos, nessa ânsia de serem felizes a qualquer preço, acho que andam se esquecendo que, em algumas circunstâncias…" noblesse oblige".
Assim, não nos esqueçamos que "manda a educação":
– que nos façamos presentes e não nos furtemos de prestar solidariedade àquela pessoa conhecida nossa que está doente: a presença de um amigo, em algumas circunstâncias age melhor que os medicamentos;
– que comparecer ao velório ou ao funeral de amigos e de parentes – os nossos e os de amigos muito próximos é obrigação da qual não devemos nos esquivar;
– que agir de forma civilizada com vizinhos, por mais antipáticos que eles possam ser a nós, também é nossa obrigação: cumprimentar, aguardar com o elevador se esta pessoa está se aproximando, respeitar as normas impostas pela convenção do prédio onde você reside, etc.
– que saber usar o tempo na empresa da qual somos parte de maneira ética, respeitando horários, usando telefones para assuntos de ordem profissional, otimizando os recursos que nos são oferecidos para trabalhar é parte de nossa obrigação profissional e também sinônimo de educação;
– que devemos saber construir nossas carreiras nas empresas calcando-nos somente em nossos valores reais e em nossas competências (… e jamais usando de subserviência, de truques desonestos com o restante da equipe, de fofocas e outras artimanhas infelizmente hoje tão comuns e corriqueiras…);
– que devemos cumprir nossas obrigações de cidadãos – honrando com nossos deveres todos e sabendo cobrar os direitos que também nos pertencem;
– que o respeito à autoridade e à hierarquia não são coisas em desuso, não são sinônimo de subserviência e que ainda valem: você pode até não concordar, não apreciar esta ou aquela figura pública ou até mesmo ao seu chefe mas…isto é democracia: se a autoridade está nas mãos daquela pessoa, respeite isto e ponto: tenho assistido, ultimamente a alguns "shows de mau gosto" que, mesmo vendo, custo a acreditar naquilo que vejo…;
– que, por mais despido de vaidade ou por mais relapso que você seja com relação a cuidados pessoais, lembre-se, você vive em comunidade ou trabalha numa empresa que, ainda que de forma implícita tem padrões que devem ser seguidos e respeitados: se não concorda com eles, desligue-se da empresa ou viva de forma alternativa – e a palavra já explica tudo!
– que saber aplaudir o sucesso dos outros de forma genuína é, além de educação, também sinônimo de nobreza de espírito;
– que a retribuição é ainda hoje a melhor maneira de se agradecer a qualquer coisa que tenhamos recebido: um convite, um presente, um elogio, solidariedade, etc. – o gesto vale mesmo mais que mil palavras…
Li recentemente um artigo interessantíssimo que abordava o tema SER FELIZ – e o articulista dizia que nestas últimas décadas o ser humano, de forma doentia e quase obrigatória tinha de ser feliz a qualquer preço e a qualquer custo. E é verdade: nesta busca desenfreada e obrigatória de ser feliz e de fazer sucesso a qualquer preço, acabamos nos esquecendo que existem algumas circunstâncias, estas sim obrigatórias, que mandam que saibamos abrir mão de satisfação e alegrias no cumprimento de algumas obrigações que, manda a educação e suas regras, têm de ser feitas …e que algumas pessoas acabaram por se esquecer disso. Seja mais solidário, faça-se mais presente na vida dos outros em momentos de dificuldade, tenha menos pressa em atingir seus objetivos pessoais, abra mão, em alguns momentos de alguns valores pessoais que, com teimosia, somente o prejudicarão,viva com mais sensibilidade. Fazer coisas importantes para outros também é caminho de se encontrar o bem estar. Noblesse oblige..!

Célia Leão
04/08/2002

Fonte: Célia Leão www.etiquetacelialeao.com.br – publicado com autorização.

Anúncios

Sobre André Zanoti

É mestre em Direito, pelo Centro Universitário Eurípides de Marília - UNIVEM (2008), especialista em Política e Estratégia pela Universidade de São Paulo – USP (2004), especialista em Direitos Especiais pelo Centro Universitário Eurípides de Marília – UNIVEM (2002), graduado em Direito pela Universidade de Marília – UNIMAR (1999). Concluiu o ensino-medio na Fox Lane High School – Bedford/New York (1992). Foi editor do Boletim Desafio e membro do corpo editorial da Revista Direito e Análise. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Constitucional, Internacional, Sociologia, Sociologia Jurídica, Ciência Política e Teoria Geral do Estado e Direito Civil. Atua principalmente nos seguintes temas: Crítica aos Fundamentos da dogmática jurídica, principiologia do Direito e construção do saber jurídico. É advogado associado do escritório Zanoti e Almeida Advogados Associados, inscrito na OAB/SP sob o número 5.222, desde 2000 e do escritório Pradella e Zanoti, em Ourinhos. Possui formação em Programação Neurolinguistica, pelo Southern Institute of Neurolinguistic e em Empreendedorismo – EMPRETEC/SEBRAE, e ministra cursos, palestras e treinamentos à pessoas jurídicas de direito público e privado, nas áreas de coaching, gestão administrativa, capacitação corporativa, liderança, negociação, formação e gerenciamento de equipes, oratória entre outros. Atualmente, é vice-presidente da ONG Associação Ambientalista de Defesa da Bacia Hidrográfica do Vale do Paranapanema - ADERP, membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente de Assis - CONDEMA, e membro da câmara técnica de capacitação, mobilização e educação ambiental do Comitê da Bacia Hidrográfica do Médio Paranapanema – CBH-MP.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s